Connect with us

Sociedade

Semana da Pessoa com Deficiência: projeto Escola Inclusiva leva informação para Natal e região

Publicado

Alunos da Estácio orientam professores e alunos de escolas públicas e privadas sobre promoção de igualdade na educação

Pexels

De 21 a 28 de agosto acontece a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, evento que foi criado para incentivar ações de inclusão social e de combate ao preconceito e à discriminação contra as pessoas com deficiência. Para colaborar com o avanço da educação desse grupo, o projeto de extensão Escola Inclusiva, da Estácio, oferece palestras nas escolas de Natal para melhor capacitar professores e orientar alunos sobre seus direitos.

“As escolas são atendidas pelos alunos da Estácio que fazem parte do projeto e são capacitados para falar sobre promoção de igualdade, as barreiras ambientais e sociais, o aparato normativo para uma pessoa com deficiência, entre outros temas. Atendemos turmas de crianças e adolescentes entre sete e 16 anos, mas a partir dessa edição, também vamos ampliar para docentes, porque entendemos que o professor deve estar preparado para garantir que a educação seja inclusiva e não só participativa”, afirma o responsável pelo projeto, Higor Kalliano, docente do curso de Direito.

De acordo com a legislação brasileira, o direito à educação das pessoas com deficiência garante que deve ser inclusiva e de qualidade em todos os níveis de ensino.

O professor ressalta que despertar na comunidade a ideia de eliminar as barreiras é o primeiro passo para permitir que a educação seja, literalmente, para todos. “Queremos chegar na garantia constitucional do acesso universal da educação, tornar o professor consciente do papel, mostrar que ele pode se engajar com a família e o que pode fazer para tornar esse processo de fato inclusivo”, explica. 

Segundo dados do Censo Escolar de 2020, cerca de 1,528 milhão crianças e adolescentes estão matriculados na educação especial. Entretanto, de acordo com levantamento do Censo Escolar de 2019, apenas 28% das escolas públicas e 44,7% das particulares voltadas para Ensino Fundamental possuem dependências adequadas para pessoas com deficiência. Quando analisadas as escolas de Ensino Médio, os números sobem para 44,3% das públicas e 52,7% das privadas. 

A lei n° 13.146, de 2015, também conhecida como Lei Brasileira de Inclusão (LBI) garante condições de acesso, permanência, participação e aprendizagem. O professor Higor explica que isso envolve oferecer recursos e serviços para eliminar barreiras arquitetônicas, como banheiros adaptados, instalação de rampas e elevador para a garantia da acessibilidade.

“Além disso, é essencial um professor que saiba acolher, que conheça a deficiência, seja física ou intelectual, para que todos os alunos tenham as mesmas oportunidades de aprendizado”, afirma o professor. 

O projeto está aberto para o contato de escolas e profissionais da Educação que tenham interesse em receber as palestras. 

SERVIÇO

Projeto Escola Inclusiva

Contato: higor.sousa@estacio.br

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X