Connect with us

Meio Ambiente

Reciclagem e Meio Ambiente

Publicado

Para além de frases como ‘’lugar de lixo é no lixo”, “faça a separação correta de materiais recicláveis”, “não jogue lixo na rua”, e tantas outras que são repetidas de geração em geração a fim de conscientizar a sociedade atual, contamos com pessoas que vão além da teoria, erguem suas mangas e fazem disso uma filosofia de vida.

Produto “Reciclei, Amei” – Foto: divulgação

Apesar do estado contar com um Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Descartáveis do Estado do Rio Grande do Norte e a atuação de várias empresas que fazem o descarte correto de materiais recicláveis facilitando esse árduo trabalho da separação e reprocessamento, o movimento não acaba aí.

Enganasse quem pensa que o fim da vida útil de algo jogado ao lixo é um fim em si mesmo. Contudo, assim como temos a chance de nos reinventar, a dedicação e criatividade de idealizadores de projetos ecológicos como “Reciclei e Amei” e “Quase Lixo Zero” trazem um novo significado para a reciclagem.

Karlúcia Rodrigues, é administradora, artista e idealizadora do projeto Reciclei e Amei, que surgiu em Abril de 2018, aqui no Estado. Desde então, esse empreendimento vem crescendo e conquistando seu espaço, principalmente em praças da capital Potiguar.

Produto “Reciclei, Amei” – Foto: divulgação
Produto “Reciclei, Amei” – Foto: divulgação

Paralelo a isso o “Quase Lixo Zero”, organizado por três engenheiros, sendo eles ambiental, florestal e civil, surgiu em 2020 com o intuito de ressignificar resíduos orgânicos, e transformar restos de alimentos em fonte nutrientes.

São pequenos projetos como esses que tornam o acesso à educação ecológica mais palpável à população, os incentivando a fazer a separação correta do seu lixo e até mesmo como o direcionar para cooperativas de coletas maiores. Esse ciclo beneficia catadores, idealizadores, a população e o planeta. O que resulta em boas vantagens práticas para o mundo, como a diminuição da contaminação do solo; diminuição do uso de recursos naturais; diminuição dos impactos no meio ambiente; e principalmente a consciência ambiental. A partir do momento em que cada indivíduo passa a fazer sua parte, o planeta conta com um lixo a menos em seu solo.

Ainda assim, para cada novo objeto ressignificado existe trabalho, dedicação e força. Apesar de ser um trabalho ricamente satisfatório, nenhum dos projetos aqui citados, conseguem se manter totalmente com o valor arrecadado com o trabalho de reciclagem, por este motivo os idealizadores dividem seu tempo entre a arte e outros empregos para
sobreviver. Mas apesar disso eles afirmam que valem a pena.

Quem desejar contribuir para os projetos pode ajudar acompanhando e divulgando suas redes sociais, fazendo a separação correta dos resíduos orgânicos, descartando o lixo de acordo com o classificação do material e fazendo trocas saudáveis para o meio ambiente a fim de gerar menos desperdício. Além disso, o projeto Quase Lixo Zero conta com planos
de assinatura para que você seja parte ativa dessa mudança, afinal o futuro começa agora.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X