Connect with us

Esporte

Um jogo dividido entre antes e depois de Zé Rafael

Publicado

O Palmeiras poderia terminar a 10ª rodada como vice-líder, no entanto, desperdiçou a oportunidade mesmo após ter sido melhor durante quase toda a partida, virado o placar e cedido o empate por 2 a 2 depois de ter Zé Rafael (in)justamente expulso

Image for post
(Foto: Marcello Zambrana / AGIF / Reprodução)

Embalado pela sequência de vitórias contra Bragantino e Corinthians, no Dérbi da última quinta-feira, o Palmeiras teve o Sport como adversário no Allianz Parque, pela 10ª rodada.

Além das colocações de alviverdes e rubro-negros na tabela, a balança do favoritismo do confronto pendia para o Palmeiras, também pelo fato de que os resultados da rodada potencializavam uma possível vitória dos paulistas.

Quando o jogo começou no estádio palmeirense, o Internacional vivia os últimos minutos da surpreendente derrota para o Goiás, e com o resultado, estacionou nos 20 pontos. A motivação dos palmeirenses para vencer era a vice-liderança.

Por outro lado, mas não menos importante, o Sport, pressionado pela parte de baixo da tabela, tinha muitos motivos para lutar por cada centímetro de gramado. Além disso, Luxemburgo precisou poupar algumas peças visando o compromisso pela Libertadores.

Mesmo sem Patrick de Paula, Marcos Rocha e Luiz Adriano, o Palmeiras foi melhor nos primeiros minutos da partida e dava indícios de que abriria o placar a qualquer momento.

O Sport desempenhava a estratégia que Jair Ventura pensou, com cinco meio-campistas, espelhava o adversário para complicar a criação alviverde. Assim, não havia espaço para propor o jogo e o Sport apenas se defendia e congestionava o meio-campo.

Na primeira descida dos pernambucanos, aos 11 minutos, uma boa trama pela ponta-esquerda e o cruzamento bem executado por Sander, que encontrou Patrick. O lateral foi derrubado dentro da área e, corretamente, Diego Pombo Lopez assinalou penalidade. Seria apenas a primeira intervenção da arbitragem numa partida de muito trabalho para o árbitro.

Iago Maidana bateu bem, Weverton acertou o canto, mas não evitou que o Sport abrisse o placar logo no início da partida. Se com o zero a zero, o time visitante jogaria fechado, com o inesperado 1 a 0, a expectativa era de uma retranca.

Curiosamente, o time de Luxemburgo não se abateu com o placar adverso e até melhorou na partida. Mas foi num erro do Sport, que o Palmeiras chegou ao empate com Willian. Sander tentou um recuo para o goleiro e acabou tocando fraco, Willian Bigode foi mais rápido, se antecipou, driblou o arqueiro adversário e finalizou rasteiro.

Após o empate, o mandante melhorou em campo e passou a dominar completamente as ações. Apertou o Sport na defesa e o gol da virada poderia ter acontecido em três oportunidades antes dos 42 minutos, quando Zé Rafael calou a boca de seus críticos e anotou um golaço, o mais bonito da rodada.

O meia recebeu a bola fora da área e acertou um belíssimo chute no ângulo rubro-negro sem chances para Luan Polli. A virada estava concretizada e, logo em seguida, nos acréscimos, Sander exagerou na força e na altura do pé, acertou violentamente Wesley e foi expulso de maneira direta.

Jogando melhor, na frente no placar e com um homem a mais, a partida estava praticamente entregue ao Verdão. Porém, uma velha máxima diz que o “jogo só acaba quando termina” e o palmeirense pôde comprovar isso no segundo tempo.

A etapa final, porém, começou na mesma toada dos primeiros 45 minutos. Willian poderia ter ampliado logo aos três minutos, mas desperdiçou. Depois disso, o lance mais relevante foi a polêmica atuação de Diego Pombo Lopez.

Numa bola esticada do ataque rubro-negro, a marcação palmeirense deu bobeira e Zé Rafael precisou derrubar o atacante que entrava na área. O lance era para expulsão, pois era uma chance clara e manifesta de gol, mas o árbitro aplicou o cartão amarelo.

Apenas seis minutos depois, Zé Rafael disputou uma bola no meio-campo e Marquinho caiu no gramado com a mão no rosto. Não houve agressão, mas o árbitro aplicou o segundo amarelo e expulsou Zé Rafael, num claro gesto de compensação de seu primeiro erro.

Ao assumir a técnica da compensação, Diego Pombo Lopez deixou de errar uma vez para errar em dois lances capitais. Assim, o árbitro fez jus ao sobrenome e fez o que de melhor pombos fazem, mas acabou alcançando o resultado mais (in)justo com a expulsão.

Uma expulsão àquela altura da partida não poderia ter outro efeito, apenas cinco minutos após Zé Rafael deixar o gramado, o Sport chegou ao empate com Lucas Mugni. Depois disso, compreensivelmente, o jogo perdeu em qualidade e intensidade com dois times evitando a exposição.

Luxemburgo tentou reorganizar seu meio-campo com as entradas de Marcos Rocha, Bruno Henrique, Danilo e Veron, mas Jair Ventura respondeu reforçando suas linhas defensivas e a entrada da área rubro-negra virou uma fortificação.

Somente aos 46 minutos, Willian conseguiu ganhar na velocidade e poderia ter dado a assistência para Veron garantir a vitória, mas acabou errando o passe, a bola passou rente a linha e se perdeu pela linha de fundo.

O empate foi amargo para o Palmeiras e foi o possível para o Sport. A igualdade no placar garantiu a manutenção do inexplicável último invicto no Brasileirão 2020, mas com a perda de dois pontos que poderão fazer diferença mais a frente na competição.

Pela combinação de resultados, o empate foi mais uma oportunidade desperdiçada para alcançar a ponta da tabela. O 2 a 2 também manteve ligado o sinal de alerta do palmeirense em ralação ao futebol apresentado pelo time e, agora, pela pontuação que deixa o Alviverde em sexto lugar e começa a distanciar dos primeiros colocados.

Luxemburgo tem feito o que pode, mas ainda parece não ser o suficiente para que o Palmeiras jogue bem como vai precisar jogar se quiser avançar na Libertadores, que será retomada nesta quarta-feira, em compromisso contra o Bolívar, fora de casa.

Já o Sport somou um importante ponto, chegou ao 14º lugar e tem o claro objetivo de a cada rodada lutar pela permanência na Série A. Nesse propósito, o próximo match point do Leão da Ilha será contra o Fluminense, no Recife. Até lá, para Palmeiras e Sport, a lembrança será de um jogo que foi dividido entre antes e depois de Zé Rafael.

Image for post
(Foto: Cesar Greco / SE Palmeiras / Reprodução)

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X