Connect with us

Cultura

Som Sem Plugs faz “Tributo a Elino Julião” em Especial de São João

Publicado

Primeira produção vai contar com participação de Khrystal e será lançada no dia 23

Vamos festejar, de casa, uma das datas mais comemoradas em todo o Brasil?! Isso mesmo, o São João. Diante do cancelamento de uma série de celebrações dos festejos juninos de forma presencial devido às necessárias políticas de isolamento social, adotadas no mundo todo no combate ao COVID-19, o projeto Som Sem Plugs – SSP vai ‘adentrar’ às casas das pessoas com um lindo “Tributo a Elino Julião”.

O projeto vai produzir materiais audiovisuais (vídeos) com a participação de vários artistas e músicos, fazendo homenagem a uma das maiores referências nacionais do forró, o norte-rio-grandense Elino Julião. A intenção é reunir músicos da formação original da Banda do homenageado, como Zé Hilton do Acordeon, Jubileu Filho, Sérgio Preto e Wagner Tsé e gravar clássicos do mestre Elino com a participação especial de artistas da atualidade que são referência no estado, na região nordeste e no país.

O primeiro lançamento oficial já ocorre no próximo dia 23 de junho, véspera de São João, por meio das redes sociais do Som Sem Plugs com a participação especial da cantora potiguar Khrystal (cantora, intérprete e atriz brasileira) em uma linda interpretação da canção “Na Sombra do Juazeiro”.  O SSP vai reunir, de forma totalmente virtual, sincronizando todos os músicos, cada um de sua casa. O material estará todo voltado para a temática junina! Músicos que acompanharão: Jubileu Filho – Violão e Direção Musical; Zé Hilton – Sanfona; Sérgio Preto – Contrabaixo e Wagner Tsé – Percussão.

Marque aí na agenda! Dia 23 de junho, lançamento oficial do “Tributo a Elino Julião – Especial de São João”, diretamente das redes sociais do Som Sem Plugs (@somsemplugs). Apresentada por Oi, Cosern e Instituto Neoenergia, a temporada 2020 do Som Sem Plugs tem o patrocínio do Governo do Rio Grande do Norte, através da Fundação José Augusto via Lei Cmara Cascudo e apoio cultural do Oi Futuro. Tem ainda o apoio da Camaleão Studio, G7 Comunicação, Original Marketing & Eventos, Studio Jota Marciano, Casa Nacre e realização Betapro Foto e Vídeo. O Especial de São João conta com apoio da InterTV e do Sebrae através do edital Economia Criativa 2020.

Sobre Elino Julião – Homenageado

Elino Julião nasceu em Timbaúba dos Batistas, no dia 13 de novembro de 1936 e morreu no ano de 2006. Foi, e se eternizou, como um cantor de forró conhecido pela forte ligação à cultura da região do Seridó, no Rio Grande do Norte. Filho de Sebastião Pequeno, tocador de cavaquinho, concertina e harpa. Foi menino “butador d’água” junto ao seu estimadíssimo jumentinho “Moleque”, no sítio Tôco, onde cantarolava batendo numa lata as modinhas que aprendia na festa de Santana em Caicó – RN. 

Na casa grande da fazenda, na qual se reuniam os moradores da redondeza, Elino Julião fazia a alegria das pessoas. Costumava sair da fazenda descalço e a pé, rompendo 18 km de caatinga para jogar a famosa ” peladinha ” em frente à Igreja de Santana na cidade de Caicó e articular-se, claro, para cantar na sede do Caicó Esporte Clube, no domingo à tarde.

No ano de 1950, destemidamente o garoto de 14 anos “pegou morcego” no caminhão de Artur Dias e veio para Natal, se escondeu no bairro das Quintas e logo garantiu seu espaço para cantar no programa Domingo Alegre da Rádio Poti, junto ao radialista Genar Wanderley e, no animado Forró da Coréia (hoje localiza-se a Arena das Dunas), forró esse que o inspirou a compor um dos seus grandes sucessos: “O forro da Coréia”.
Julião permaneceu em Natal por 18 anos. Durante esse período, serviu ao exército, mas logo que se libertou das forças armadas voltou para a Rádio Poti, onde conheceu Jackson do Pandeiro.


O já famoso Jackson o convidou para o Rio de Janeiro, onde foi morar e trabalhar como cantor, iniciando uma parceria que rendeu grandes frutos musicais e selou uma longa amizade. Como ritmista de Jackson, Elino se apresentou em rádios, tvs e viajou o Brasil inteiro. Foi na casa de Jackson, que ele começou a compor suas primeiras músicas e então, gravou seu primeiro disco em 1961 e posteriormente seus primeiros sucessos: Puxando Fogo e Xodó do Motorista, que logo se transformaram em verdadeiros hits. 

Luiz Gonzaga estreou na TV Cultura o show “Chapéu de couro” e o convidou para trabalhar como ritmista, permanecendo por mais três anos. Vale lembrar também que o seridoense morou com o Rei do Baião e seu irmão Zé Gonzaga. O trabalho de Elino Julião tem um perfil regionalista muito transparente, que o caracteriza como um “autêntico cantor do Nordeste”. Tinha extrema facilidade em compor a respeito das particularidades do seu povo, dos fatos do cotidiano. Menino esperto que trouxe no sangue as raízes do autêntico “forró pé de serra” do sertão nordestino, registrou e divulgou com originalidade e alegria a cultura e as tradições dos folguedos populares nordestinos por mais 40 anos.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X