Connect with us

Esporte

Resenha: Seja como Mike: o que podemos aprender com “The Last Dance”

Publicado

Para os amantes da bola laranja, o timaço do Chicago Bulls dos anos 1990 é um marco do esporte. A partir da série “The Last Dance”, uma parceria entre ESPN e Netflix, é possível notar que para além dos ganhos esportivos, as experiências dos bastidores daquela equipe são valorosas lições de vida

(Foto: Divulgação / ESPN)

A nova série da ESPN, e agora disponível na Netflix, “The Last Dance”, é uma extraordinária visão dos bastidores do sexto e último título de Michael Jordan, conquistado em 1998. Por meio de flashbacks, também conta a história da carreira de Jordan e da dinastia do Chicago Bulls que dominou a NBA nos anos 1990. É cheio de lições não apenas para os fãs de basquete, mas para quem almeja possuir um legado.

Aqui estão algumas lições que podemos destacar:

Ser subestimado

Jordan foi cortado de sua equipe do colégio no segundo ano do ensino médio. Mas, ao invés de desistir, usou sua frustração como combustível para melhorar. Mais tarde, depois de vencer um campeonato nacional universitário na UNC, ele foi escolhido apenas em terceiro lugar no draft da NBA. Se o futuro GOAT foi subestimado, você também será. Não pense nos passos. Se você quer ser ótimo, concentre-se em provar isso para você mesmo — com seu desempenho.

Um talento em falta pode reunir tudo

Jordan jogou com o Bulls por seis temporadas antes de vencer seu primeiro campeonato. Foram necessários anos para encontrar as peças certas, como Scottie Pippen e Dennis Rodman, para construir uma forma de jogo em torno dele. Tudo não aconteceu até Phil Jackson se tornar treinador e instituir a estratégia ofensiva do triângulo. Phil era o “cofundador” desaparecido. A adição de um talento que faltava, muitas vezes é o grande desbloqueio para se fazer algo excelente.

Você não pode fazer tudo sozinho, por melhor que seja

O principal insight de Phil foi que um time baseado apenas em MJ era previsível demais e, portanto, fácil de anular. O manual do treinador anterior Doug Collins foi “dê a bola para Michael e saia do caminho”. A estratégia ofensiva do triângulo de Phil foi sobre a criação de ameaças, incluindo, entre outras, MJ. Era um sistema flexível que permitia a todos os jogadores contribuir com seus pontos fortes e se complementarem. Nem sempre ser o melhor jogador em quadra levava Michael à glória. Para conquistar triunfos, precisamos nos cercar de outros grandes nomes e atores, trabalhando em um sistema que traga o melhor de todos.

Tolerar a excentricidade — se isso o ajudar a vencer

Phil e MJ deixaram Dennis ser Dennis, permitindo que ele tirasse “férias” desde que voltasse no dia do jogo. Um treinador mais conservador não teria tolerado as excentricidades de Rodman. A genialidade de Phil Jackson era justamente saber como gerenciar as personalidades e dar a Dennis o espaço de qual precisava enquanto cultivava a lealdade que valeria a pena no dia do jogo. Muitas vezes perdemos oportunidades porque não sabemos como acomodar a excentricidade. Precisamos estar abertos a flexibilidade de como gerenciava Phil.

Um time precisa de um empurrãozinho

Depois de perder para o Pistons, melhores fisicamente em 1990, MJ empurrou a equipe para trabalhar durante todo o verão, levantando pesos e ganhando músculos. A equipe respondeu a essa liderança: eles queriam ser levados à grandeza. O Bulls voltou e venceu seu primeiro campeonato em 1991. Não havia como voltar atrás. Os gestores que lideram a frente podem pressionar a sua equipe muito mais do que qualquer outra pessoa.

A equidade em relação à segurança de uma marca estabelecida

O empresário de Jordan, David Falk, outro brilhante companheiro de gestão escolhido por MJ, insistiu para que o atleta adquirisse sua própria linha de calçados, ao invés de um simples acordo de endosso. Enquanto os outros superstars da NBA assinaram com marcas estabelecidas como Converse, Falk e Jordan evitaram a segurança em números e fecharam um acordo com a ainda novata Nike.

Isso colocou Jordan em sua própria categoria, com uma vantagem muito maior. Com certeza, a Air Jordan reinventou o mercado de tênis e catapultou a Nike para se tornar líder de vendas no mercado. A segurança das marcas estabelecidas tende a ser superestimada. Melhor escolher o lado positivo da equidade quando tiver oportunidade.

Evite dúvidas

A temporada final foi repleta de dúvidas extrajudiciais envolvendo negociações contratuais controversas com Scottie Pippen e Phil Jackson. Jordan expressou apoio a seus colegas de equipe, mas evitou criticar a gerência. Ele não se deixou levar pelas dúvidas. Ao longo de sua carreira, o escrutínio da mídia sobre Jordan foi intenso, mas ele conseguiu permanecer positivo, elegante e concentrado. Para ele, dúvidas geravam perda de tempo e energia e por isso, procurava evitar.

O Sucesso leva tempo

A reputação de Jordan antes do primeiro campeonato era de um jogador espetacular, mas não podia vencer campeonatos como Bird ou Magic. Não havia nada fácil, automático ou garantido sobre MJ se tornar o GOAT.

Houve seis longos anos de tentativas e erros antes da dinastia tomar conta. Jordan admite que ficou incomodado com a conversa de que não poderia vencer os grandes; é claro, ele provou que todos estavam errados no estilo típico de Jordan. Devemos sempre lembrar de que a reputação com a qual você termina não é necessariamente a que você começa.

Quando encontrar a fórmula vencedora, pressione-a — e continue vencendo

“The Last Dance” (o sexto campeonato) quase não aconteceu porque o GM Jerry Krause queria entrar em um “ano de reconstrução” trocando os veteranos e deixando Phil Jackson ir. Jordan respondeu: “os Cubs estão se reconstruindo há 42 anos”. Ele insistiu que só jogaria para Jackson, forçando a diretoria a mantê-lo por mais um ano. A equipe ficou junto e obteve mais um anel. A segunda janela do triângulo ofensivo consagrou o status GOAT de Jordan. É tão difícil criar uma fórmula vencedora que, uma vez que você o faça, lute para mantê-la unida o maior tempo possível. Se você tiver sorte o suficiente para alcançar a terra prometida. Aprecie o que tem e aproveite ao máximo.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X