Connect with us

Economia

É possível investir durante a pandemia?

Investidores de todo o mundo foram pegos de surpresa, inclusive as economias mais maduras

Publicado

O ditado “não existe crise e sim oportunidade”, bastante conhecido no mercado financeiro, foi colocado à prova desde quando a Covid-19, o novo coronavírus, se disseminou sobre o mundo sem previsão de se dissipar. 

Investidores de todo o mundo foram pegos de surpresa, inclusive as economias mais maduras. Passado o susto do primeiro impacto, é hora de analisar, com cautela, o cenário a partir da perspectiva de cada investidor, como alertam os especialistas.  

“Trata-se de um momento para rever se a carteira de investimentos está adequada ao perfil de investidor. Ou seja, o quanto de risco é possível tolerar e, se for o caso, fazer ajustes”, explica Evandro Pereira, CEO da Genial Investimentos. 

Ele reforça que vale a pena o investidor verificar se sua carteira contempla os melhores produtos financeiros dentro de cada classe de ativos, sejam eles de renda fixa – modalidade de investimento em que a remuneração é conhecida no momento da compra do título – e/ou renda variável , modalidade de investimento em que a rentabilidade não é preestabelecida. 

Renda variável: ações e demais produtos 

O mercado está extremamente volátil e a crise fez com que o preço das ações e outros títulos despencassem sucessivamente. Como consequência, muitos investidores rapidamente se desfizeram de suas ações.

De acordo com Evandro, neste momento não é preciso necessariamente vender ou comprar um produto financeiro. Ou seja, não é recomendável tomar atitudes precipitadas. A recuperação dos mercados será gradual,  conforme as políticas econômicas forem sendo implementadas pelos governos. 

Porém, explica que os investidores mais arrojados conseguem comprar ativos de renda variável e suportar uma queda de preço no dia seguinte. Nessa linha, o CEO da Genial Investimentos relata que é possível buscar opções interessantes na Bolsa, com o câmbio e fundos imobiliários. Ainda assim, é preciso ter paciência para esperar a recuperação do ativo no longo prazo.

Evandro orienta para que os investidores fiquem mais atentos às análises técnicas. “Se você quer operar na Bolsa, preste atenção aos níveis técnicos e observe se o mercado está respeitando os suportes importantes disponíveis”, acrescenta. 

Uma sugestão do CEO da Genial Investimentos para o investidor que não tem muito tempo para se dedicar à procura de boas opções de fundos de investimento, uma possibilidade são os fundos de fundo. Nesse tipo de investimento, a pessoa terceiriza a escolha das melhores opções de fundos imobiliários, feita por um gestor profissional.  

Para isso vale a pena buscar apoio: as corretoras de valores têm profissionais especializados que podem ajudar com essas questões e tirar dúvidas. 

A renda fixa 

Diante da perspectiva de queda na taxa de juros, o rendimento de produtos de renda fixa como o dos títulos do Tesouro Direto fica comprometido.   

Com a falta de liquidez, o crédito privado  (produtos como CDB e letras de crédito) também não apresenta muitas perspectivas de ganhos, refletindo  a incerteza do mercado. 

Perspectivas para o futuro

“A recuperação dos mercados não será rápida, o impacto nas economias será muito relevante, o que não se sabe, no entanto, é quanto esse impacto vai durar e qual é a velocidade de recuperação, mas certamente não será em dois ou três meses”, avalia Evandro Pereira. 

Não há também previsão de quanto tempo levará para que os mercados se recuperem, pois será preciso, em primeiro lugar, levantar o real tamanho dos danos. 

Sangue frio e paciência são pré-requisitos para se enfrentar os momentos de incerteza. Contar com ajuda especializada pode ajudar muito a diminuir os níveis de ansiedade para clarear os pensamentos e tomar a decisão mais acertada para seu investimento. 

Conteúdo produzido por Experta media.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X