Connect with us

Esporte

Não conheço, mas já vi! #3

Publicado

Rosenborg, o mandachuva do futebol norueguês

Imagem: Reprodução / Internet

São 26 títulos da Eliteserien, o campeonato nacional norueguês. Dezessete à frente do segundo maior campeão. Doze Copas da Noruega e três títulos da Supercopa do país. São essas conquistas que estabelecem o Rosenborg Ballklub como principal equipe norueguesa, com uma hegemonia que foi consolidada no início da década de 90.

Cidade norueguesa de Trondheim, casa do Rosenborg (Foto: Autor Desconhecido)

A inspiração inicial

Fundado em 19 de maio de 1917, o Rosenborg é natural de Trondheim, terceira maior cidade da Noruega. Criado por um grupo de 12 jovens, surgiu com o nome de Sportsklubben Odd. Uma homenagem ao Odd Grenland, da cidade de Skien, então melhor equipe de futebol do país na época. No início, o clube apenas realizava amistosos contra equipes menores, até ingressar na divisão regional em 1920.

Em 1928, a equipe integrou a Associação Norueguesa de Futebol. No entanto, os dirigentes não aceitavam ter dois clubes com o mesmo nome. Então, em 26 de outubro daquele ano, o time passou a ser conhecido como Rosenborg Ballklub. Com um início satisfatório, chegou à principal divisão regional em 1931, e venceu a Copa da Noruega em 1933. Foi nesse período que a diretoria do clube planejou a construção de um novo estádio, mas teve de interromper em decorrência da Segunda Guerra Mundial.

O pós-guerra

Em 1947, dois anos após o fim dos conflitos, o Lerkendal Stadion, casa do clube a partir de então, foi erguida e aberta ao público, ainda com algumas estruturas provisórias. Com a reforma ocorrida entre 2000 e 2002, se tornou uma das mais modernas arenas da Europa, com capacidade para pouco mais de 21 mil torcedores. E o Lerkendal possui uma peculiaridade em relação aos demais estádios ao redor do mundo. Dos grupos de torcedores presentes, uma das organizadas distingue-se das demais por incentivar sempre a equipe visitante, seja ela qual for. Com o nome de Heia Bortelaget, pode ser identificada pelo uso de camisas e cachecóis cor de rosa por seus integrantes.

Lerkendal Stadion, casa do Rosenborg (Foto: info-stades.fr)
Torcedora trajando as cores do setor Heia Bortelaget (Foto: Universitetsavisa)

Em 1960, o time chegou à divisão de elite da Noruega pela primeira vez, além de alcançar a final da Copa, um duelo contra o Odd, clube que inspirou o seu primeiro nome. Após empate em 3 a 3, o Rosenborg venceu por 3 a 2 a partida desempate e foi campeão.

Após conquistar a competição novamente em 1964, mesmo estando na 2° divisão, o clube participou de uma competição europeia pela primeira vez na história: a extinta Cup Winner’s Cup, um torneio realizado entre os campeões das Copas de cada país. Acabou eliminado na segunda rodada pelo Dynamo de Kiev.

A volta à Eliteserien

Depois de quatro temporadas na divisão de acesso, a equipe retornou à elite do futebol norueguês em 1967, ano em que conquistou seu 1° título da Liga. Liderados por Nils Arne e pelo jovem Odd Iversen, que se tornariam dois grandes ídolos, o clube conseguiu nove vitórias e sete empates em 18 jogos. No ano seguinte, Arne foi eleito o jogador do ano no país e Iversen foi artilheiro com 30 gols, recorde jamais igualado até hoje.

Nils Arne, que recentemente foi técnico do clube (Foto: Ivar Thoresen)
Odd Iversen, terceiro maior artilheiro da Eliteserien com 158 gols (Foto: Ivar Aaserud)

Com exceção às conquistas do nacional e da Copa em 1971, a década de 70 foi de “vacas magras” para o Rosenborg. Em 1977, o clube fez uma campanha desastrosa, com somente duas vitórias, e acabou rebaixado. No outro ano, Iversen, que havia deixado o clube no início da década, retorna, agora mais experiente, e a equipe consegue o acesso para a 1° divisão. No entanto, mesmo com a artilharia do campeonato pela quarta vez na carreira em 1979, a volta de Iversen não foi suficiente para o Rosenborg voltar a conquistar títulos.

Foi só em 1985, após um jejum de catorze anos, que o time voltou a ser campeão. Após vitória por 1 a 0 na última partida contra o Lillestrom, o Rosenborg ultrapassou o rival, que liderava o campeonato há 18 rodadas, e foi campeão com um ponto de vantagem. A década de 80 foi boa: três nacionais e duas Copas conquistadas. Porém, foi no início dos 90 que a hegemonia foi consolidada.

Vídeo: Canal Traannjaemm

O domínio

O Rosenborg venceu o Campeonato Norueguês 13 vezes consecutivas, entre 1992 e 2005, ficando a duas conquistas de igualar o recorde mundial estabelecido pelo Tafea Football Club no campeonato nacional de Vanuatu. A sequência acabou sendo interrompida pelo Valerenga. Depois disso, a Liga ainda seria vencida mais sete vezes. Nesse mesmo período, o clube também foi campeão cinco vezes da Copa da Noruega e fez a sua melhor campanha na Uefa Champions League.

Foi na temporada de 1996–97. Após eliminar o Panathinaikos, da Grécia, na fase prévia, caiu no grupo D, com Porto, Milan e o IFK Gotenborg, da Suécia. Para surpresa geral, na última rodada, o Rosenborg bateu o Milan por 2 a 1 em pleno San Siro, ficou com a segunda vaga no mata-mata e eliminou os italianos.

Porém, nas quartas de final, após empate por 1 a 1 no Lerkendal Stadion, os noruegueses perderam por 2 a 0 fora de casa para a Juventus, que viria a ser vice-campeã da competição, e acabaram eliminados.

Duelo diante do Milan no San Siro (Foto: Matthew Ashton / Getty Images)

A temporada 2018–19 foi, em certa medida, decepcionante. Terceiro lugar, com 52 pontos conquistados, dezesseis atrás do campeão e arquirrival Molde. Na Copa, desclassificação ainda nas oitavas, com derrota para o Aalesund. Conseguiu apenas uma vaga na Uefa Europa League, mas acabou eliminado ainda na fase de grupos.

Vídeo: Canal Kjorsvik7

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X