Connect with us

Esporte

Superkite e Superfoil reúnem atletas nacionais e internacionais em megaeventos de kitesurf no litoral do Ceará

Publicado

Evento consolidado no calendário internacional de kitesurf, o Superkite faz parte do circuito mundial da modalidade na categoria freestyle e acontece há quase duas décadas no litoral brasileiro. Em 2021, o Superkite, evento organizado pela Global Kitesports Association – GKA, ocorrerá entre os dias 10 e 14 de novembro, na Praia do Cumbuco, em Caucaia, que fica a apenas 25km de Fortaleza.

Já o Superfoil nasceu devido ao crescimento de uma nova modalidade de velejo, o Foil. O crescimento dessa prática no cenário mundial, traz em sua segunda edição em terras alencarinas, o maior campeonato já realizado do esporte no mundo. Dos dias 16 a 21 de novembro, o Aterro da praia de Iracema será palco da etapa brasileira dos circuitos mundiais da GWA e GKA, nas categorias Hydrofoil Freestyle, Wingfoil Freestyle e Wingfoil Race.

Neste ano, a briga pelo título do Superkite será intensa. No feminino, a cearense Mika Sol é a primeira do ranking e pode garantir o tetracampeonato mundial com uma vitória em casa. No masculino, o francês Arthur Guillebert é o favorito, mas o espanhol Jeremy Burlando e o australiano Ewan Grant Jaspan estão na cola. Ao todo, serão mais de 45 atletas, nas categorias feminino e masculino, de mais de 20 nacionalidades diferentes, voando nos mares cearenses durante o Superkite.

História e ícones do kite

Desde que chegou ao Ceará, em 2003, o Superkite transformou a realidade do litoral cearense, fazendo com que o estado ficasse conhecido mundialmente como o “Havaí do Kite”. Outra realidade transformada foi a das comunidades que vivem nos locais onde o kitesurf é mais praticado.

Principalmente oriundos de vilas localizadas nas praias que recebem as competições, o Ceará virou o principal celeiro de atletas da modalidade para o Brasil. Jovens, principalmente filhos de pescadores, domésticas ou cozinheiros, passaram a ter, através da inicialização no esporte com o Superkite, uma perspectiva na vida. É o caso de Carlos Mário “Bebê”, tricampeão mundial, que teve uma infância difícil, mas foi vendo os melhores atletas do mundo indo competir do lado de sua casa, no Cumbuco, que descobriu sua vocação.

“O kite, além de ser a minha diversão hoje, também é o meu trabalho. Graças a isto, viajei o mundo todo, conheci vários países, várias línguas e muitas pessoas incríveis. Com esse trabalho, consegui comprar meu transporte e consegui realizar o sonho da minha mãe, que também foi um sonho meu: construir minha própria casa”, comemora Carlos Bebê.

Já da  praia do Preá, ao lado de Jericoacoara, surgiu Mika Sol, de apenas 16, que já foi três vezes campeã mundial da GKA, uma vez da WKC e a campeã mundial adulta mais jovem da história. “Já fui a países como Sri Lanka, África do Sul, Marrocos, Bonaire e França. São muitas oportunidades pela frente, estou mais conhecida fora do Brasil, porque o Kite é respeitado no exterior”, ressalta a campeã.

Além de Carlos Bebê e Mika, hoje o circuito conta com um grande número de competidores cearenses, que tiveram suas primeiras chances no Superkite e hoje viajam o mundo, conhecendo países, línguas e culturas, trazendo esse conhecimento de volta para as suas regiões, contribuindo assim para o crescimento social das localidades.

“Todo ano nós recebemos Wild Cards da federação internacional, masculinos e femininos, são convites que entregamos para escolinhas de kitesurf locais, que fazem trabalhos sociais o ano inteiro com jovens e crianças, tirando elas de situação de vulnerabilidade e inserindo no esporte. É como se fosse um prêmio, jovens que não tem patrocinadores ou empresários, e têm a chance de competir no maior campeonato do mundo contra os melhores atletas do mundo. São assim que surgem as novas estrelas”, afirma Lúcio Monte, coordenador técnico do evento.

Responsabilidade ambiental

Uma das principais preocupações do Superkite é também o aspecto ambiental. Desde as primeiras edições, diversas ações são realizadas nos locais onde a competição acontece. Patrícia Carvalhedo, Diretora do Superkite, elenca algumas das ações já realizadas:

“Nas edições anteriores, fizemos uma limpeza subaquática linda no local da competição, fizemos até um relatório de tudo que foi retirado do fundo do mar. Na última edição do Cumbuco, instalamos bituqueiras na cidade inteira e realizamos uma limpeza na praia, vamos fazer esse ano também. Para além disso, todos os uniformes do staff, camisas da competição e bolsas e brindes para atletas são feitos com materiais recicláveis que retiramos da praia, garrafas pet e lonas de kite”, explica.

Economia e Turismo

A chegada do SuperKite transformou também o aspecto econômico e turístico do Ceará. De acordo com a Secretaria de Turismo do Estado, o Ceará recebe cerca de 300 mil turistas estrangeiros por ano: 10% deste número justificam a vinda através da prática de esportes e aventuras e 70% desse corte vêm ao Ceará especificamente para a prática de Kite, Foil ou WindSurf.

A consolidação do Superkite também atraiu atenção e investimentos de fora do Brasil. Há pelo menos duas décadas, estrangeiros, principalmente europeus ligados ao kitesurf (ex-atletas, atletas amadores, simpatizantes) se mudam permanentemente para as praias, construindo hotéis, pousadas e grandes empreendimentos, gerando empregos locais.

Superfoil

Devido aos contínuos investimentos do Governo do Estado há quase duas décadas no Superkite, o Ceará se consolidou como o principal destino para a prática do esporte no mundo. Por isso, entre os dias16 e 21 de novembro, a Praia de Iracema, em Fortaleza, vai receber pelo segundo ano consecutivo o Superfoil, etapa do circuito internacional de Foil, da Global Wingsports Association – GWA, nas categorias Wingfoil Freestyle e Wingfoil Race; e da GKA, na categoria Hydrofoil Freestyle.

A categoria Foil, que engloba Wingfoil e Hydrofoil, foi recentemente adicionada ao plano Olímpico e será disputada nos Jogos de Paris, em 2024, na categoria Formula. Esse fato tem chamado bastante atenção de novos simpatizantes da modalidade, inclusive celebridades.

“Para se ter uma ideia, este é o segundo ano do circuito do foil aqui no Ceará, e já estamos estimando um número bem elevado de atletas. É uma modalidade nova, que a galera gostou e está aderindo com força. Inclusive diversas celebridades estão vindo para praticar também”, celebra Lúcio Monte, coordenador técnico do evento.

Serviço
SuperKite:
GKA Kite World Tour – Freestyle
Quando: 10 a 14 de novembro
Onde: Praia do Cumbuco – Caucaia – Ceará

Superfoil:
GWA Wingfoil World Cup Brazil 2021
GKA Hydrofoil Freestyle World Cup Brazil 2021
Quando: 16 a 21 de novembro
Onde: Praia de Iracema – Fortaleza – Ceará

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X