Connect with us

Entretenimento

GFVIP X BBB: O que une Dayane Mello, Lucas Penteado e Juliette Freire?

Reality shows retratados no Brasil e Itália, simultaneamente, pautam a bifobia e xenofobia fazendo-nos refletir até onde o jogo influencia na vida real

Victória Alves

Publicado

Juliette Freire, Dayane Mello e Lucas Penteado | Edição: Naryelle Keyse

O reality italiano Grande Fratello Vip e o Big Brother Brasil somam episódios semelhantes em suas edições que estão indo ao ar, o da terra nostra está chegando ao fim, já o nosso, ainda está em seu primeiro mês de exibição. Mas além de sua reprodução em 2021, como países tão diferentes enfrentam episódios tão similares em seus confinamentos?

O GFVIP está no ar desde setembro de 2020 e teve duas vezes sua final adiada, sendo prolongado o tempo de confinamento dos brothers, ou digamos…fratellos? Sua final será no dia 01 de março e conta com Dayane Mello, modelo catarinense na final. Ela – que além de cinco meses de confinamento – enfrenta ataques de oponentes do jogo. Já mostramos um pouco do machismo, sexismo e misoginia que ela sofreu nos primeiros meses de confinamento, se quiser conferir novamente, clique aqui. Ademais, é constante e desproporcional o tratamento que a brasileira tem no reality, isso porque alguns personagens são beneficiados no jogo, com direito a visitações, ligações a familiares em excesso e informações externas sobre o jogo.

Mas não falemos nisso, ok? No último episódio que foi ao ar na segunda-feira (22), a brasileira sofreu mais um ataque, dessa vez, foi “tirada do armário” pelo apresentador, não bastasse a sua coragem para assumir seus sentimentos pela amiga de confinamento, suas atitudes e sentimentos foram duramente criticados durante o ao vivo, a tornando mais uma vez alvo, rebatendo qualquer comentário cochichado, Dayane retruca: “Desculpa, eu vivo num mundo moderno e não no mundo antigo”. Mas após o episódio nada mudou, os ataques se intensificaram com o discurso de que ela estava usando isso como estratégia e que seu sentimento não era verdadeiro, além de comentários de cunho  extremamente bifóbicos. As críticas perduraram e a brasileira debruçou-se em lágrimas enquanto continuavam.

Lucas Penteado

O episódio ocorrida nas terras italianas surpreendeu pelas semelhanças com o caso do Lucas Penteado que beijou o Gil Nogueira no BBB21, protagonizando um momento caloroso e memorável na edição, e que infelizmente foi finalizado com o brother pedindo para sair do reality após julgamentos de colegas de confinamento sobre sua sexualidade, afirmaram ainda que ele estava sendo sujo usando uma causa para jogo, as críticas partiram de pessoas diversas, inclusive algumas da comunidade LGBT – o que também aconteceu com a Dayane – sendo de certa forma um choque para o público de casa, ao menos o brasileiro, que acompanha e espera que pessoas da comunidade sejam mais empáticas com as outras letras da sigla, na qual tem propósito de união. 

Na Itália, o assumidamente gay critica a modelo dizendo que seu amor por Rosalinda é uma merda. Você é meio lésbica. Isso para mim é uma merda”, já no Brasil, temos o exemplo da Pocah e da Lumena, uma bissexual e uma lésbica, consecutivamente, criticando a atitude de Lucas de beijar o Gilberto, o que o machucou grandemente em um momento de vulnerabilidade e que precisava de apoio e aceitação.

Lumena não autorizou e criticou duramente o brother. | Foto: Reprodução/Rede Globo

Houve muita diversidade nas pautas dessa edição do Big Brother, mudando o tom de questões como racismos, machismo entre outros temas relevantes, mas a “militância” de modo exacerbado e que ocasiona opressão acaba por ser uma ferramenta não de luta dos oprimidos, e sim, uma busca de mudar o papel, transformando os oprimidos em opressores. 

Juliette Freire

Militância não isola e nem oprime, militância une e dignifica. A paraibana Juliette Freire, após semanas sofrendo xenofobia, parece ter entendido os discursos que seus oponentes estavam vociferando. Após ser isolada, debochada, criticada e vítima de mentiras e brincadeiras com seu sotaque nordestino – mais especificamente paraibano – a advogada e maquiadora aprendeu a lidar com as críticas e levantou a cabeça para aqueles que estavam a colocando em um papel que não lhe cabia. A volta por cima da nordestina e sua atitude de finalmente bater de frente com todos aqueles que tentavam a diminuir pelo seu jeito de falar surtiu grande efeito do lado de casa, é quando novamente nos questionamos até que ponto o jogo é jogo e a vida real é…real.

Os comentários depreciativos em relação ao sotaque da advogada e maquiadora não passou despercebido pelos internautas, mas na Itália também não foi muito diferente, a nossa brasileira foi chamada de selvagem, e uma ex-participante até chegou a dizer que o Brasil era uma ‘tribo’, querendo ofender os brasileiros que acompanham e apoiam a jornada da Dayane no programa, fazendo sua estadia permanente, mesmo depois dela ter sido nomeada a 11 paredões, ou como chamam na Itália, Televoto e voltando de todos eles.  

A paraibana desde o ocorrido no Big21, conta com grande apoio do público, ela soma mais de dez milhões de seguidores em seu Instagram em um mês de exibição do programa da Rede Globo. Lucas Penteado agora fora do jogo já recebe o carinho do público. Na Itália, Dayane Mello poderá ver sua recepção nas redes sociais após o início de março, que é quando encerra se encerra a edição. 

A Juliette até o momento é uma das favoritas ao prêmio do game brasileiro e não tem data marcada para viver no mundo ‘real’ ainda. Mas enquanto isso, você pode apoiar as sisters através das redes sociais da Dayane e da Juliette, e acompanhar o Lucas em sua jornada pós-reality.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X