Connect with us

Economia

Pandemia do covid-19 faz número de contratos inadimplentes com o Fies aumentar no Nordeste

Jefferson Taffarel

Publicado

As dívidas com o Fies aumentaram no Rio Grande do Norte e nos outros estados do Nordeste nos quatro primeiros meses deste ano, em relação ao mesmo período em 2019. É o que mostram os dados obtidos pela Fiquem Sabendo, mostrando que em certos estados da região os contratos inadimplentes aumentaram mais de 100%, ou seja, chegando a dobrar de quantidade.

Dados da Controladoria Geral da União, através do SISTEMA ELETRÔNICO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO – e-SIC | Infográfico: Elo Jornal

O crescimento de contratos em dívida com o programa de financiamento foi menor no somatório geral dos que foram realizados por todos os estados do país, incluindo o Distrito Federal: o aumento foi de apenas 81,9%. Na região Nordeste, esse percentual chegou a mais de 111%, o que indica que o número de contratos em dívida com o financiamento ficou duas vezes maior.

Dados da Controladoria Geral da União, através do SISTEMA ELETRÔNICO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO – e-SIC | Infográfico: Elo Jornal

O RN foi o estado do Nordeste que menos cresceu a quantidade de dívidas: o aumento em relação aos quatro primeiros meses do ano passado foi de 88,6%; Já o estado que menos teve contratos em dívida foi o Piauí. Em contrapartida, Paraíba foi o estado que mais aumentou em termos percentuais a quantidade de contratos em dívida: o crescimento alcançou 123%

Atualmente, da quantidade total de contratos com o financiamento público, 53% estão em dívida; os contratos firmados com o Fies em dívida foram firmados entre 2010 e 2017 e de acordo com a Resolução nº 27, de 2018, do Comitê Gestor do Fies, os contratos são considerados inadimplentes quando as prestações não pagas a partir do 90º dia após o vencimento da prestação, na fase de amortização.

Suspensão

A Resolução nº 38, publicada no último dia 22 de maio pelo Ministério da Educação, permite a suspensão de parcelas dos contratos concedidos com recursos do Fies, durante o período de calamidade pública do novo coronavírus, “que estejam na fase de utilização, carência ou amortização”. Há uma ressalva no documento que atenta para a aplicação da resolução: os contratos que ainda estão vigentes, isto é, que não entraram em dívida, que tenham sido firmados antes da pandemia.

*Esse tema já foi abordado em outra matéria no Potydados. O objetivo do projeto é conhecer mais sobre o que os indicadores sociais e outras estatísticas estão falando sobre a realidade nordestina e potiguar. Se quiser conhecer mais, basta visitar o site.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X