Connect with us

#DEScancelados

#DEScancelados: Babu Santana, o Paizão da favela ao asfalto

Águida Leal

Publicado

Atacado sob acusação de vitimismo, Babu conquistou cada vitória dentro e fora do reality Big Brother Brasil

Apesar de anos de carreira, prêmios na dramaturgia e mais de 40 filmes no currículo, Alexandre da Silva Santana (40), o Babu, enfrentou muitos obstáculos na vida até conquistar cada vitória.

Antes da dramaturgia, Babu teve várias ocupações. Trabalhou na praia, fez trabalhos domésticos, construção civil e como aderecista em escola de samba. Mesmo assim, sempre esteve envolvido com a arte. Por acompanhar seu pai quando ele trabalhava no Teatro Fênix, onde a Globo gravava suas produções, sentiu a paixão pela arte despertar e o interesse do jovem cresceu ao longo dos anos.

Babu passou parte da vida na comunidade do Vidigal, lá iniciou a sua carreira de ator aos 17 anos no grupo de teatro Nós do Morro. O amor pelo grupo é tanto que marcou na pele a homenagem pela companhia. Sua carreira é marcada por diversas novelas e filmes. Chegou a ganhar por duas vezes o Prêmio Grande Otelo, maior prêmio do cinema brasileiro.

Foto: @arturmeninea para o GShow

Seu pseudônimo, Babu, veio de “brincadeiras” na época da escola. Com o intuito de ofender, colegas de classe o chamavam assim pela sua feição amarrada e pela fama de marrento. Babu é o diminutivo de babuíno (espécie de primata – antropóides cercopitecídeos do gênero Papio). O que ninguém sabe é que alguns babuínos são conhecidos como reis da montanha, mesmo que aparentem ser marrentos. E Babu Santana provou ser um rei mesmo sem provar da liderança no programa.

Sua passagem pelo reality marcou o início de conversas relevantes sobre racismo, sobre história do Brasil e sobre termos que não podem mais ser usados. O ator provou que sua força e superação vinham do contexto social que viveu e ainda vive, mas provou também que ouvir é sinônimo de aprender. Com sua simplicidade provou que o coração bom não tem cor ou classe, que cuidado e afeto não é distante da vivência de qualquer pessoa e que tudo bem chorar, mas não se deve esperar muito de uma humanidade que foi capaz de causar guerras e mortes seletivas.

Os papéis interpretados pelo artista foram em sua maioria de personagens que iam de empregado, capataz e traficante, sendo poucos os de situação socioeconômica elevada ou que ganhassem ao menos nome. Sem enxergar isso como problema, encarou todos como um trabalho independente de narrativa.

Imagem: Reprodução | Instagram

“Eu nunca quis ser artista para ser famoso. Fui ser artista porque gostei. Quando comercializei isso foi pensando neles (seus filhos, Carlos, Laura e Piná), para nós ficarmos juntos”, disse em entrevista para o Gshow antes de entrar no BBB. Babu atuou em grandes filmes do cinema nacional como Cidade de Deus, Cidade dos Homens, Estômago e Meu Nome Não É Johnny. Mas foi em Tim Maia que despontou. O marrento de coração doce é um artista de talento nato, incrível e forte. Sua dedicação à família e ao trabalho provam o que todo brasileiro carrega dentro de si: o amor. Que a sua primeira impressão não seja violenta e que Babu não seja cancelado por se vitimizar, coisa que jamais fez. Mas que todos aprendam com ele como falar suas vitórias faz o universo te mandar muitas mais.

Babu Santana – Foto: Reprodução | Instagram

A série de artigos #DEScancelados promove a visibilidade das boas ações e qualidades de personalidades que – com a nova cultura de cancelamento – estão sofrendo linchamentos virtuais sem propósito de crescimento pessoal, reparação e desconstrução dos seus atos, gestos e falas. 

O Elo Jornal não compactua com a propagação de ódio gratuito. Perpetuar a ação odiosa através da cultura do linchamento virtual causa apenas danos, fere o psicológico de qualquer pessoa que possa se sentir ofendida e não tem intuito de criticar de maneira construtiva, o que é ainda mais danoso.

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X