Connect with us

Esporte

Os caminhos de Jesus antes da Gávea

Lucas Costa

Publicado

O português assinou um novo contrato com o Flamengo que estende seu vínculo com o clube até 2021, para a alegria dos flamenguistas. O “mister” já marcou seu nome na galeria dos grandes técnicos do futebol brasileiro com os títulos conquistados, mas você leitor conhece a trajetória de vida do treinador antes de chegar no rubro-negro carioca ? Vai descendo que te apresento um pouco da história

(Foto: Flamengo/ Divulgação)

Jorge Fernando Pinheiro de Jesus nasceu no dia 24 de julho de 1954 em Amadora, pequena cidade que faz parte da área metropolitana de Lisboa. Jesus faz parte da enorme lista de treinadores que, antes de encontrar seu lugar à beira do campo, teve uma carreira como jogador, porém nada badalada e sem deixar nenhuma saudade no coração dos adeptos.

Ao longo de 17 anos de carreira, fez parte de uma legião de clubes, como o Sporting, seu primeiro time, Benfica, Belenenses e outros vários. Como meio-campista, Jorge não chegou nem perto de alcançar o sucesso que viria a ter como comandante de suas equipes. A aposentadoria com 35 anos, em 1989, foi o fim e o começo da história de JJ.

A primeira equipe que Jorge teve em mãos foi o modesto Amora, time da quarta divisão portuguesa, que em três anos no comando dela, conseguiu colocar o clube na terceira divisão.

Continuou acumulando acessos em outros clubes depois de sair do Amora. Jesus pegou o boné do Felgueiras, montou um esquema tático que fez o clube pela primeira vez em sua história subisse para a divisão principal de Portugal. Ao todo, foram dois acessos de divisão, da terceira para a segunda; e da segunda para a primeira, em 1995. Porém, na temporada seguinte, apesar de todos os esforços, JJ não conseguiu evitar o rebaixamento de seu time.

Treinou posteriormente o União Madeira, numa passagem rápida em 1998, logo depois a Estrela de Amadora, clube de sua cidade natal, até 2000. Na virada do século esteve no comando do Vitória de Setúbal, onde conseguiu mais um acesso em sua carreira, colocando o time que leva o nome da cidade na primeira divisão. Retornou ao Estrela de Amadora mais uma vez para alegrar seus conterrâneos colocando-os também na principal divisão do país.

Jorge Jesus até então não havia treinado nenhum grande clube de Portugal, mas chamava bastante atenção pelos inúmeros acessos que conseguiu com seus times humildes financeiramente e sem nenhum grande diferencial técnico dos jogadores.

Em 2004, enquanto os flamenguistas eram comandados por Abel Braga, futuro antecessor de Jorge Jesus, na derrota da Copa do Brasil contra o Santo André, o português estava no Vitória de Guimarães. Recebeu um duro golpe dirigindo na temporada seguinte o Moreirense, clube pelo qual, em 2005, foi rebaixado.

Porém, ainda em 2005 começou a ascensão do Mister. Treinando o União de Leiria na liga principal de Portugal, chegou na sétima colocação ao fim do campeonato. E no ano seguinte, no comando técnico do Belenenses, teve campanha ainda melhor.

Chegou na quinta colocação e ainda numa final da Taça de Portugal, ocasião em que foi vice para o Sporting. O que lhe rendeu mais uma transferência, agora para o Braga, onde obteve mais um quinto lugar no campeonato e chegou até as oitavas de final da Liga Europa.

Esses bons resultados com suas equipes ganharam fama no país, Jorge virou um treinador cobiçado, por isso, recebeu o convite do Benfica para ser treinador da equipe.

Jorge Jesus no comando do Benfica. (Foto: Reprodução/ Getty images)

No comando dos Encarnados, finalmente chegou ao patamar mais alto em Portugal. Engana-se quem pensa que foi um trabalho fácil, Jesus chegou ao Benfica em 2009 com o Porto dominando os últimos campeonatos nacionais, com quatro títulos seguidos. A missão dele era parar essa hegemonia e trazer a taça de volta à capital.

E, igual como fez no Flamengo, ele já em sua primeira temporada destronou o Porto e se sagrou campeão com um elenco com nomes como o de Di María, Luisão e Pablo Aimar.

Mas não conseguiu se manter ao topo nas três temporadas seguintes, vendo a equipe do Porto retornar ao poder. Mesmo perdendo a competição nacional principal, JJ seguiu ganhando outros menos badalados, como um tricampeonato da Taça da liga.

No cenário europeu, o mais longe que Jesus chegou na Champions League foi nas quartas de final em 2012, quando foi parado pelo Chelsea, futuro campeão e também carrasco no ano seguinte na final da Liga Europa, em Amsterdã, onde a equipe londrina foi campeã derrotando o Benfica de Jesus por 2 a 1.

Determinado a ser campeão, o Benfica retornou à final da Liga Europa, contudo, a determinação não foi suficiente para a conquista. O time perdeu para o Sevilla nos pênaltis e amargou o vice-campeonato consecutivo da competição. Mesmo com seu nome santificado e poderoso, Jesus não conseguiu quebrar a maldição de Béla Guttmann.

Se não conhece a maldição, confira no texto “ A maldição de Béla Guttmann” do amigo Pedro Henrique Brandão Lopes pelo Universidade do Esporte, onde ele conta sobre a praga que o antigo treinador dos encarnados jogou no clube.

A conquista da Europa é um sonho do Mister, mas que ele não conseguiu realizar. Em Portugal, o treinador retornou a ser campeão da Liga num bicampeonato nas temporadas 13–14, 14–15. Após seis temporadas seguidas no comando do time da capital, Jesus quebrou o coração dos torcedores quando em 2015 acertou com o Sporting.

A passionalidade tão típica dos torcedores fez Jesus se tornar Judas.

No Sporting, a passagem não foi brilhante como no antigo time, Jesus somente conseguiu uma Taça da Liga de Portugal, e depois de 3 temporadas pela primeira vez, saiu do seu país para treinar outro clube. Foi para o Al Hilal da Arábia Saudita em uma curta temporada.

Acertou com o Flamengo em maio de 2019 e de lá pra cá, ouviu críticas nos primeiros jogos pela própria torcida, jornalistas e treinadores questionarem seu trabalho, duvidarem da sua capacidade e desdenharem de seus títulos em Portugal.

Hoje, Jorge Jesus é unânime .Em seus cinco primeiros meses de trabalho conquistou depois de 38 anos a Libertadores pelo Flamengo e depois de 10 anos, o Campeonato Brasileiro. Quem não conhecia o português, agora conhece bem.

Jorge Jesus vive relação de amor com a torcida do Flamengo. (Foto: Divulgação)

Continue Reading
Deixe seu comentrio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 Elo Jornal. Todos os direitos reservados. contato@elojornal.com.br

X